Em todos os tempos, a motivação pessoal ocupou e ocupa um papel muito importante na vida de todos os seres humanos. Ela faz parte de nossa vida diária. Tanto em nossa vida particular quanto em nossa vida profissional, a motivação tem um papel fundamental. Se uma pessoa está motivada, ela se anima a fazer muitas coisas que vão beneficiá-la.
O relacionamento com a família, com os amigos prospera. Os dias ficam melhores, as dificuldades são mais facilmente resolvidas. Enfim, a pessoa motivada fica inspirada.
Vale a pena lembrar que, quando nos referimos à motivação, estamos falando da motivação para coisas que nos farão bem e não da motivação que nos prejudica.
Quase todas as pessoas, com raras exceções, gostam de estar e de ser motivadas a progredir em todos os campos da vida, pois isso significa estarem dispostas a realizar atividades que lhes trarão prazer, benefício e bem-estar.
A pessoa motivada ajuda aos outros e, por consequência, acaba ajudando a si mesma.
A motivação é contagiante. Ela afeta a todos os que a transmitem por meio de suas ações práticas.
Alguém que está motivado transmite confiança e segurança.
Podemos ter grande motivação quando, por exemplo, vemos uma pessoa, que passou por dificuldades extremas, conseguir superar todos os obstáculos por mais intransponíveis que pudessem parecer. Isso é um incentivo e tanto para qualquer um.
A motivação pode aparecer e se mani-festar em nós de diversas maneiras. Pode ser benéfica, mas também, pode nos causar sérios problemas quando passa a ser desmotivação, que pode levar muitas pessoas a precisar até de ajuda profissional para que sejam estabilizadas no que se refere ao aspecto emocional.
Mas como devemos lidar com a nossa motivação para ela nos fazer progredir, ter uma qualidade de vida satisfatória
Há pessoas que têm muitas dificuldades em estabilizar as motivações. Essa questão pode estar ligada à genética, ao meio em que ela convive e até a acontecimentos que independem de sua própria vontade.
As condições gerais de vida de uma pessoa podem, também, servir de desmotivação quando elas são desfavoráveis em situações como: quando se enfrentam dificuldades financeiras que interferem diretamente nas possibilidades de honrar compromissos. Esse problema provoca uma enorme pressão mental e emocional e o corpo também sofre com os efeitos dessa situação desagradável.
Outra causa da desmotivação: quando uma pessoa, que sempre usufruiu de uma ótima situação financeira, mas, perde, por causa de um contratempo, quase tudo que possuía e passa, por isso, a não poder satisfazer, plenamente, as necessidades familiares.
Quando estamos desmotivados, ou seja, nos sentindo desanimados, desesperançosos, o que mais desejamos é a ajuda de uma palavra amiga, de pessoas que nos entendam, que nos redirecionem, nos façam encontrar o equilíbrio tão necessário.
Acontece, porém, que nem sempre encontramos a ajuda certa na hora certa. E, por isso que, às vezes, temos vontade mesmo é de apelar para qualquer coisa que venha trazer de volta a nossa estabilidade.
As nossas motivações pessoais estão diretamente ligadas às nossas emoções e, quando elas não estão bem, parece que nada está bem. Em uma situação dessas, o que mais queremos e do que mais precisamos é recuperar o nosso bom estado emocional.
Para muitos, essa é uma luta diária. É de se imaginar que a estabilidade emocional é, senão o maior, um dos maiores objetivos da vida de todos nós, seres humanos.
Existe um detalhe muito importante: de nada adianta termos tudo que a vida pode nos oferecer se, emocionalmente, estamos desequilibrados.
De qualquer forma, tenha-se pouco ou tenha-se muito, o essencial é estar bem, emocionalmente.
Pode ser que aconteça a uma pessoa que usufrua de ótima condição emocional algo que poderá mudar totalmente a situação de estabilidade emocional. Na verdade, todos nós estamos sujeitos a uma situação dessas. E quando isso acontece, o que podemos fazer?
Às vezes, não nos resta outra alternativa senão nos dedicarmos, por muito tempo, a isso até decifrarmos o que pode ter causado essa instabilidade.
Quando conseguimos alcançar, novamente, a boa condição emocional que tínhamos – e por alguma razão a perdemos – isso é um grande alívio; vale mais do que qualquer outra coisa por mais valiosa que possa ser. A boa motivação, o equilíbrio emocional. Tê-las é maravilhoso! Sentimo-nos alegres, felizes, nosso rendimento pessoal - e até profissional - aumenta, prospera.
Precisamos, sempre, estar atentos à nossa saúde física também.
Um problema de saúde pode tirar toda a motivação de alguém; por exemplo: uma pessoa que sempre teve saúde física satisfatória e, por isso, se sente motivada; mas, de repente, se depara como portadora de uma doença grave - como o câncer - ou um grave problema cardíaco. Ela pode levar um choque com essa descoberta, e, assim, perder a sua autoestima e se ver de frente com a desmotivação, com o desânimo. Nessa hora, é necessário que ela tenha muito apoio e incentivo de outras pessoas para recuperar a sua motivação.
Todos nós, seres humanos, temos uma força interior espetacular, só precisamos des-cobrir como desenvolvê-la. Esse, aliás, é um grande enigma que tem chamado a atenção de muitos desde o princípio da civilização, tornando-se objeto de vários estudos.
Outro ponto também muito comum, hoje, é trabalhar em um serviço em que se necessita, constantemente, de uma boa motivação; por exemplo, profissões em que se tem, com frequência, contato com o público.
Quando nossa motivação não está bem e trabalhamos nesse tipo de profissão, e isso se dá por problemas de ordem pessoal, como devemos agir
Que bom seria se sempre conseguíssemos separar a vida pessoal da profissional. Isso, entretanto, nem sempre é possível. Há casos de pessoas que, por problemas de ordem pessoal, acabam por diminuir, consideravelmente, o seu rendimento profissional e até mesmo, por isso, perdendo o emprego. Chegam, às vezes, a pedir demissão; ou também pode ocorrer, exatamente, o contrário quando problemas, na vida profissional, afetam, negativamente, a vida pessoal de alguém, e essa situação cria uma crise.
Quando problemas, como a desmotivação, acontecem, é necessário nos ajudarmos a enfrentá-los. Na realidade, situações desagradáveis devem ser identificadas logo que se iniciam, isto é, muito antes que “explodam”
Uma pessoa pode estar se preparando para a vida profissional através do estudo, desde o nível fundamental até o nível médio e, daí, partindo para a graduação e a pós-graduação, mas poderá, em um determinado momento, por alguma razão, sentir-se desmotivada. Algumas chegam a abandonar os estudos quando estão nessa situação. Nessa hora é que se faz necessária uma ajuda, um auxílio.

O ideal é que a própria pessoa descubra saídas para a sua falta de motivação. Afinal, na verdade, só ela mesma sabe, mais do que ninguém, o que está acontecendo.
Sabendo que problemas que ocorrem em nossa saúde podem determinar toda a nossa motivação, precisamos sempre estar nos autoconhecendo. Precisamos aprender uma arte: como sermos nós mesmos os nossos melhores amigos. Ninguém pode nos ajudar tanto quanto nós mesmos. Esse é um grande segredo.
Nesse momento é que a experiência pessoal em lidar com os problemas pessoais faz toda diferença. É por essa razão que, quanto mais preparada estiver a pessoa, no que diz respeito ao conhecimento de si mesma, muito mais chances de conseguir a superação ela terá.
Uma grande ajuda que podemos ter para recuperarmos o equilíbrio emocional é sempre prestar atenção em nossa volta, vendo exemplos de pessoas que também enfrentaram grandes dificuldades e, usando da própria sabedoria, entendimento e dedicação, conseguiram vencer enormes obstáculos.
Espelhando-nos nessas pessoas, podemos aprender com elas e descobrir os seus métodos, teóricos e práticos, para superarem o desequilíbrio motivacional.
Em nossa vida de todos os dias, quando há o desequilíbrio emocional, tanto no campo pessoal como profissional, em princípio, não é nada fácil conviver com essa situação, pois, geralmente, quem está, apenas observando as nossas reações e não tem pleno conhecimento do que acontece conosco, muitas vezes, tende, até, a criticar o nosso desânimo. Essa atitude, contudo, só piora a nossa situação.
Quando alguém enfrenta problemas que se referem à sua motivação, passa, geralmente, a sofrer um período de muitas baixas, de muitas perdas, principalmente, em sua qualidade de vida. Um problema leva a outro, e a falta de motivação parece envolver a sua vida como um todo. Não dá mais vontade de se divertir, e até a comunicação com outras pessoas diminui.
Nas horas em que há a falta de motivação, tanto pessoal como profissional, é aconselhável que compartilhemos esse momento com alguém que, realmente, possa nos ajudar, de forma espontânea e sincera. Esse tipo de pessoa pode estar dentro de nossa própria família ou entre nossos amigos.
Mesmo nos dias atuais, apesar de haver muito individualismo, ainda existem pessoas nas quais podemos confiar.
O ideal em uma hora dessas é que tenhamos firmes laços com pessoas da própria família, como pais, irmãos, cônjuge, filhos e outros familiares, pois são elas as mais próximas de nós e que nos conhecem há mais tempo.
A união familiar deve ter prioridade, pois se torna um auxílio que está sempre por perto, um porto seguro em momentos de instabilidade emocional.
É complicado quando, depois de passar-mos por um longo período de desmotivação e de tentarmos todos os meios possíveis para superá-la, chegamos à conclusão de que nada nem ninguém conseguiu nos motivar trazendo de volta o nosso equilíbrio emocional. É nesse mo-mento que devemos mostrar o quão forte nós somos criando nossos próprios métodos para resolver os nossos problemas. É nesse instante que temos que reunir forças próprias e usar a nossa criatividade.
Isso tem que ser assim, pois no mundo onde vivemos nem sempre nós encontramos meios para receber auxílio, ou esses meios se mostram insuficientes.
Para vencer a desmotivação, é muito importante o tipo de formação que possuímos, isto é, como foi o nosso desenvolvimento pessoal - desde quando éramos crianças até o pre-sente momento. Sim, nós vamos tendo, com o passar do tempo, noção da capacidade de nossas forças pessoais. Isso, desde a infância. O exemplo que nossos pais nos transmitem durante todo o nosso tempo de convivência com eles é, também, primordial.
Temos que ter, sempre, desde o início de nossas vidas, outra qualidade essencial para nos tornarmos fortes: ser muito observadores, colher da vida e das pessoas à nossa volta as suas melhores ações, observarmos muito bem tudo que ocorre no meio em que vivemos.
Dessa forma, vamos nos tornando sábios e fortes em inteligência e por sabermos enfrentar os altos e baixos da vida.
Aprendemos, assim, a ser crianças de alto valor, jovens de alto valor, adultos de alto valor. Aprendemos a ser ótimos filhos, ótimos pais, aprendemos como ter sucesso em nossa vida, pessoal e profissional. Sendo assim, quando chegarmos a algum momento de nossa vida em que nos depararmos com a falta de motivação, vamos ter conhecimento e sabedoria suficientes para que, mesmo quando não pudermos contar com a ajuda de nada nem de ninguém, possamos superar qualquer “tempestade” com o nosso próprio esforço.
Formar uma base sólida em nós mesmos faz com que tenhamos equilíbrio em nossas vidas práticas e essa qualidade promove a motivação necessária que precisamos para superar todas as barreiras que existem em nosso dia a dia.
Motivadas, a nossa vida pessoal e a nossa vida profissional são verdadeiras fontes de felicidade. É a nossa base, é o legado que vamos deixar, como nossa marca – para sempre – para as gerações futuras e não podemos admitir, em nenhuma hipótese, que a desmotivação, que pode nos afetar de uma hora para outra, venha a atrapalhar ou impedir esse desenvolvimento.
Temos que estar, por isso, atentos a qualquer sintoma negativo que venha a nos tirar a motivação, seja ela de ordem pessoal ou profissional.
Nunca existirá alguém que não passe por dificuldades e imprevistos. Devemos, porém, notar qualquer sinal negativo e tomar as providências para reverter esse quadro assim que ele se manifeste.
O bem-estar de uma pessoa é o maior tesouro que ela pode possuir e, por isso, tudo deve ser feito para preservá-lo. Em nossa rotina diária, a qualidade de nossa vida pessoal e profissional merece toda a atenção por ser a base de tudo, o que sustenta tudo o mais.

Autor: Eduardo Bianchi - que também é organizador e autor do site "Guardiões das Riquezas" (www.guardioesdasriquezas.com).